Quem sou eu

Minha foto
Aparecida de Goiânia, Goiás, Brazil
Escritor, poeta, membro da ACADEMIA APARECIDENSE DE LETRAS e UNIÃO BRASILEIRA DE ESCRITORES EM GOIÁS.

sábado, 26 de junho de 2010

ENIGMA VERMELHO



Mergulhado em silêncioso ritual da contemplação
Distancio-me de mim ao pousar meu olhar
Nos delicados contornos de seus lábios.


Quedo-me extasiado ao perceber
O que outros apenas veem
E a poesia lampeja em forma de poema,
Pois transcende o mundo real.


Entorpecidos em loucas sinapses 
Meus de neurônios explodem mil ideias
Em relâmpagos coloridos
Enquanto viajo estrelas na carnuda moldura que separa
Meu universo onírico com os contornos de sua boca,


Meus poemas nascem dos devaneios
Dos meus pensamentos não publicáveis.
Pensamentos que, aos borbotões,
Tornam-se sol iluminando 
Meu jardim dos desejos inconfessáveis.


Ao contemplar sua boca
Viajo em momento de pura catarse,
Este poema nasce da simples contemplação
De seus lábios carmesim,
Que ora dizem não, ora dizem sim.


E digo mais:
Esse enigma vermelho,
Lindamente desenhado,
Mesmo em silêncio
Me fala um milhão de palavras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário