Quem sou eu

Minha foto
Aparecida de Goiânia, Goiás, Brazil
Escritor, poeta, membro da ACADEMIA APARECIDENSE DE LETRAS e UNIÃO BRASILEIRA DE ESCRITORES EM GOIÁS.

quinta-feira, 25 de maio de 2017

SOBRE A DIFERENÇA ENTRE POESIA E POEMA


SOBRE A DIFERENÇA ENTRE POESIA E POEMA


No ofício da arte de escrever, às vezes, somos surpreendidos por questionamentos ou comentários inusitados. Comentários bons e comentários maus. Leia-se maldosos. Já fui surpreendido por comentários maus, sobre os quais não quero falar agora, mas hoje fui pego de surpresa por um questionamento bom, muito bom.
Ao ler o mais recente poema de minha autoria, RITUAL DE SEDUÇÃO, publicado no meu blog, uma amiga me perguntou: “Almáquio, quando é poema e quando é poesia”. De pronto compreendi que ela havia lido, anteriormente, outro poema de minha autoria, POESIA e POEMA, publicado recentemente no blog. A dúvida é pertinente, pensei. E resolvi respondê-la aqui, com este texto.
Para explicar vou usar alguns versos do poema POESIA e POEMA. Veja:

A poesia está posta naturalmente
Em todos os lugares
A preços populares
Mas o poema não.

Quando eu digo que “a poesia está posta naturalmente em todos os lugares” quero dizer que ela existe, de forma natural, sem que alguém a faça existir.
É o caso da beleza de uma paisagem. Ela é bela independentemente de alguma pessoa perceber, ela existe por si só. Isso é a poesia. Ela existe, é imaterial. Por isso que

No silêncio do casulo
Sem alegria, sem festa
A poesia, por si mesma, se manifesta.

Mas a poesia também é subjetiva, ou seja, o que é belo para um, pode não ser belo para outro.

Entretanto ela passaria invisível
Se nenhuma alma sensível
Percebesse que na dor da transformação
Acontece a magia da beleza em formação.

Além de subjetiva, minha amiga, poesia é sentimento e somente se manifesta nas almas sensíveis. Por isso a poeta Adélia Prado escreveu o belíssimo verso:

De vez em quando Deus me tira a poesia.
Olho pedra, vejo pedra mesmo.”

Veja que verso maravilhoso e verdadeiro. Tem pessoas que só veem pedra. Não há sensibilidade nelas. A vida dessas pessoas é pedreira e por isso são embrutecidas e ficarão cada dia mais embrutecidas, até terem seus corações (sentimentos) fossilizados. Por isso não choram, não sorriem, não se emocionam, não se encantam. Transformam-se em pedras.

Isso é poesia, minha querida. Este impactar-se diante das coisas.


Já o poema não está posto
De forma tão natural
Poema exige labor humano
E só acontece quando
O Poeta
Impactado pela magia da metamorfose
Transborda seu encantamento
E registra em versos
A emoção que o comove.

O texto formalizado, a estrofe, o verso, isso é o poema. É a parte concreta que exige o trabalho do poeta.
Não quero te confundir, mas saiba que existem versos que não tem poesia, assim que há poesia sem versos.
O encantamento diante de uma música, de um quadro pintado por um artista, diante de um gesto solidário, diate de uma cena qualquer como, por exemplo, uma flor nascendo no asfalto como poetizou Drummond, tudo isso tem poesia.
O poema é tão somente a percepção do poeta que capta a emoção e a materializa com palavras, com ou sem rimas, mas nunca sem magia.
Obrigado por sua pergunta e por ser minha leitora.

Almáquio Bastos, 25/05/2017


Nenhum comentário:

Postar um comentário